Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Vida de um Cinéfilo

Gosto de filmes, e vou falar deles, e muito ...

Gosto de filmes, e vou falar deles, e muito ...

Vida de um Cinéfilo

01
Set17

Guardians of the Galaxy Vol. 2 (Guardiões da Galáxia Vol. 2, 2017) - Crítica


Francisco Quintas

     Voltei! Depois de completar o mês de Agosto com apenas um post, decidi voltar. Vamos falar sobre outro presente da Marvel deste ano.

     Depois de Peter Quill descobrir mais sobre si mesmo e a sua família, os Guardiões devem agora lutar para preservar a união que nasceu entre eles e derrotar mais uma presença que ameaça o Universo.

Guardians-of-the-Galaxy-Vol-2-wallpaper (1).jpg

     A realização e o argumento são mais uma vez do James Gunn. Depois do seu ótimo trabalho anterior, este tinha uma missão bastante difícil: fazer uma sequela digna do original, tentando não desiludir os fãs da Marvel. Como é que ele resolveu esse pequeno dilema? Mais ação, mais cor, mais (e melhor) humor e, claro, um apurado e excelente desenvolvimento dos seus personagens, assim como uma boa introdução aos mais recentes neste universo cinematográfico. É assim que se faz uma sequela!

     Quanto à fotografia e ao trabalho de edição e de câmara, o James Gunn mostra-se mais uma vez à altura dos desafios e das “exigências” dos espectadores. Na verdade, parece que, a cada filme da Marvel que chega, o universo se torna mais colorido. Os produtos chegam a parecer discotecas em forma de cinema, o que para mim é bom, enquanto que possa ser chato para outros. Vamos começar por aí, este é disparado um dos filmes com mais genica e cor da Marvel, mas o que o torna mesmo interessante é o facto deste não se preocupar tanto em mostrar como é que as ações decorrem. Por exemplo, a sequência inicial é espetacular, é uma cena de ação de deixar cair o queixo, porém o James Gunn decide-se concentrar nas ações mais absurdas e mundanas dos personagens. Enquanto a ação estão lá atrás, podemos observar o Baby Groot a passear ou uma discussão entre o Rocket e o Peter. Claro que não é a primeira vez que vemos isto, mas mesmo assim, é um método incomum e engraçado.

guardiansvol2-1.jpg

     Escusado será dizer que tudo o que envolva efeitos visuais e maquilhagem é novamente trabalhado com extrema precisão. Nesse aspeto, em pleno 2017, já não é preciso se preocupar com o CGI da Marvel. Desde que aquele orçamento seja bem aplicado, está tudo bem.

     O humor continua aceso. Facilmente reconhecemos e nos identificamos com as trocas de insultos e bocas, pelo menos eu ri-me mais com este filme do que com o primeiro. Algo que gostei muito foi a quebra da seriedade de certas cenas, adoro quando os filmes assumem repentinamente um tom mais sério ou triste e do nada alguma coisa ridícula é dita ou feita! Nesse aspeto, o guião melhorou, no entanto o mesmo não se pode dizer sobre a exposição, há ligeiramente mais exposição desta vez. Há até um momento em que “figurantes” da história discutem entre eles um assunto importante para não haver riscos, para o público perceber o que se passa. Tirava-se esse e mais alguns e o filme não precisava de ter mais de 2 horas.

Guardians-of-the-Galaxy-Vol-2-trailer-breakdown-68

     O elenco continua no seu melhor. O Chris Pratt é novamente a peça mais carismática, mesmo assumindo uma postura necessariamente mais séria. Não é por ser ele que recebe mais protagonismo que o arco do personagem seria de qualquer maneira o mais pesado. É, de facto, a sub-plot mais intrigante, mérito dele e do seu parceiro no crime.

starlord-poster-1490376309493_1280w.jpg

     Falando nele, o Kurt Russel foi uma bela adição ao universo da Marvel. Era apenas uma questão de tempo até o ator se juntar, e ainda bem que isso aconteceu. O Ego é um personagem muito bom e interessante e a sua filosofia é-o também. Digamos apenas que as suas camadas são simultaneamente inesperadas e previsíveis. Apenas vejam o filme, não posso dizer mais, prefiro evitar spoilers.

1092192_181.jpg

     A Gamora agradou-me mais desta vez. Fez-me lembrar a Charlize Theron no Kubo and the Two Strings, de 2016. Ela tem uma postura bem mais séria e é, às vezes, até desnecessariamente severa, o que foi engraçado. O mesmo se pode dizer da Nebula, a Karen Gillan tem mais para fazer, tem mais camadas e torna-se mais interessante.

1778x2500_onbnk5.jpg

GOTGVOL2_10.jpg

     O Drax foi o meu favorito! Para além de o Dave Bautista se revelar um ótimo ator, ainda consegue espantar o público no segundo filme. Desta vez, o sentido de humor do Drax consiste em observações óbvias e inconvenientes. É muito bom!

drax-poster-1490376309483_1280w.jpg

     A Mantis pode nem ser muita chamativa, mas o arco que a envolve a ela e ao Drax foi quase perfeito. De um lado está a brutidão dele, do outro está uma espiritualidade ridicularizada e cómica. A Pom Klementieff fez um ótimo trabalho.

Guardians_Of_The_Galaxy_Official_Character_Poster_

     O Baby Groot é, sem dúvida, a criatura mais adorável do universo inteiro da Marvel! Claro, é uma doçura condicionada, mas o Groot não deixou de ser badass. Já o Rocket recebe um tratamento que, no início, torna-se estranho, mas depressa é acostumável e compreendemos as motivações do personagem, assim como mais sobre o seu conflito interno.

groot-poster-1490376309496_1280w.jpg

Guardians_of_the_Galaxy_Vol2_PosterENG8_MF.jpg

     Por outro lado, o Yondu, interpretado pelo Michael Rooker, teve uma participação inesperada na história, apesar de ter igualmente mais para fazer enquanto aprendemos mais sobre o seu passado e os seus demónios.

yondu gotg vol 2 poster.jpg

     Já a Elizabeth Debicki eu não gostei. A atriz não parece nada uma antagonista e nem confortável com o seu papel parece. Ela constantemente parece estar noutro filme e passa o tempo todo a falar alto sem causar o mínimo de intimidação.

guardiansofthegalaxyvol2_239469.jpg

     E o Sylvester Stallone teve uma participação desnecessária. Depois de o ator mostrar que ainda tem muito talento, era mais que merecido a entrada num filme da Marvel. Infelizmente, o querido Sly ficou reduzido a quase um figurante.

NEBivD6q4GaXEH_2_b.jpg

     Ah, antes que me esqueça … oiçam a playlist original! A Awesome Mix Vol. 2 está discutivelmente ao nível da primeira. Quem gostar de clássicos vai-se deliciar com a seleção de músicas deste filme!

guardians-of-the-galaxy-vol-2-01.jpg

     É preciso ter cuidado com as expectativas. Guardians of the Galaxy Vol. 2 é um bom filme, mas certamente não é melhor que o seu antecessor. Muitos se desiludem por esperarem o melhor filme já feito. Eu não me desiludi porque tinha consciência que aquilo que ia ver não me marcaria. Na era dos blockbusters e das sequelas, é preciso ver o cinema desta maneira. Ainda assim, verdade seja dita, o filme é muito bom, divirtam-se!

 

Nota: B+

     Se estiveres a gostar do blog, não te esqueças de me seguir no Facebook, no Twitter e no Blogspot. Obrigado!

2 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D