Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Vida de um Cinéfilo

Gosto de filmes, e vou falar deles, e muito ...

Gosto de filmes, e vou falar deles, e muito ...

Vida de um Cinéfilo

17
Jun17

Kevin Hart: What Now? (2016) - Crítica


Francisco Quintas

   Pode parecer que este filme não mereça uma crítica como as outras, só que comparando um filme de concerto/stand-up/documentário deste género com um, por exemplo, do Robin Williams não é fácil. O Kevin Hart teve uma ideia que me ajudou a querer ver este filme.

     O stand-up comedian Kevin Hart atua à frente de um público composto por 50 000 pessoas no Lincoln Financial Field em Filadélfia.

Kevin-Hart-What-Now.jpg

     Portanto, o início trata-se de uma paródia dos filmes do James Bond. O humor chega até a parecer-se com o de Deadpool, aquele humor cheio de referências da cultura popular e absurdista. Mas claro, quem gosta do humor típico do Kevin Hart vai ter um prato cheio. Um humor típico dos negros americanos já não é novidade, são montes de atores que têm a mesma personalidade de humor principalmente no Saturday Night Live e hoje são prestigiados stand-up comedians ou atores de TV ou do cinema. O elenco reúne Halle Berry, Don Cheadle, Ed Helms e David Meunier, interpretando eles mesmos. Apenas não gostei do facto de o Ed Helms ser subutilizado, eu gosto do ator e acho que podiam ter feito muitas piadas com ele. Maior parte das piadas são non-sense, broncas, negras (algumas muito negras) e, claro, puramente Kevin Hart. As suas reações, expressões e gritos são hilariantes. Todas elas são excelentes e, mais uma vez, este homem prova que filmes de paródia conseguem ter piada e que podem ser muito bons. Apenas um momento da Halle Berry é que me incomodou um pouco, não por causa da atriz, mas por causa de uma ação sua que para mim não tinha qualquer propósito.

     As cenas de “ficção” foram realizadas pelo Tim Story e o espetáculo foi gravado pela Leslie Small, o que pouco importa, o que eles precisavam de fazer era apenas meter lá uma câmara. Para além do Kevin Hart, os responsáveis pelo guião (tanto na ficção como no stand-up) foram Harry Ratchford e Joey Wells. Mas obviamente, o filme é do Kevin Hart, sem discussão.

     São vários os temas do espetáculo: storytelling, relação do comediante com a mulher/filhos/pais, situações absurdas e, claro, sexo. Devo dizer que o Kevin Hart é um dos melhores performers americanos vivos. Realmente, quando um comediante é bom no cinema ou na TV, é ainda melhor num palco, é esse o berço de todos os humoristas, e onde todos se sentem mais confortáveis. Demorei também pouco tempo para perceber que o “humor americano”, se é que pode chamar assim, não é muito diferente do “humor tuga”. Claro que há diferenças, mas somos todos humanos, o que nos faz rir, normalmente, são sempre as mesmas situações.

     Apenas não gostei do final. Assim que o espetáculo acaba, a história “James Bond” no casino inicial continua, mas em vez de ter um final concreto, o Kevin Hart decidiu deixar aquilo aberto para retomar a sua tour mundial, ou seja, ele diz para a câmara que vai continuar a fazer stand-up comedy. Agora, se se puseram no compromisso de criar uma trama fictícia no início, mais valia acabá-la.

kevin-hart-what-now (1).jpg

     Kevin Hart: What Now? é um dos espetáculos de stand-up mais surpreendentes que vi na vida. Não esperava que o “humor americano” me fizesse rir tanto. Se alguma vez o Kevin Hart vier a Portugal, eu pagarei para vê-lo.

 

Nota: B+

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D