Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Vida de um Cinéfilo

Vida de um Cinéfilo

21.Out.18

Gustavo Fring – o Don do Frango, da Droga e da Lavandaria

Francisco Quintas
Concluindo esta pequena coletânea de artigos dedicados ao décimo aniversário de “Breaking Bad”, eis que chegamos onde eu queria – falar de um dos melhores antagonistas da televisão. Tal como o químico Walter White e o traficante Jesse Pinkman, o mais genial criminoso da série da AMC merece igualmente um estudo, demonstrativo da sua profundidade enquanto personagem. Se há coisa que distingue Gustavo Fring dos restantes antagonistas da Televisão ou até mesmo do Cinema (já que (...)
06.Out.18

A Simple Favor – fazer comédia é mais difícil que fazer drama

Francisco Quintas
Citando um sábio chamado Luís Franco-Bastos: “A Internet é f*****.” Não há uma maior verdade que esta. “Gone Girl” é um dos filmes mais apreciados de 2014. David Fincher é um dos maiores realizadores da sua geração. Eu … nunca vi. Mas conheço-o perfeitamente. As comparações entre “A Simple Favor” e “Gone Girl” são claramente inevitáveis. Obrigado pelos spoilers, Internet. Mas falando do que interessa. Caros leitores, se são uma das três que leem o meu blog
18.Set.18

Jesse Pinkman - perda da inocência, martírio e ressurreição

Francisco Quintas
Continuando os artigos dedicados ao 10º aniversário de “Breaking Bad”, este será uma análise do arco do Jesse Pinkman, o agarrado e traficante mais adorado da Televisão. Para quem não sabe, isto será uma surpresa. O criador de “Breaking Bad”, Vince Gilligan, pensou séria e decididamente em matar o Jesse no final da 1ª temporada. Como podemos supor (e, de seguida, confirmar) a interpretação surpreendentemente reveladora e promissora do Aaron Paul demonstrou a fáceis (...)
15.Set.18

The Dark Knight - a frágil e falsa moralidade humana

Francisco Quintas
Pergunto: O que torna um filme de super-heróis bom? O que o torna distinto dentro do género? Serão as cenas de ação? Será a caracterização traduzida da banda desenhada? Será o tipo de narrativa? Será o arco do protagonista? Será o vilão? Qualquer que seja a resposta, podemos ter a certeza de uma coisa. Christopher Nolan cumpriu o requisito e acertou na mosca. “The Dark Knight” é uma obra-prima … por diversas razões. Primeiro, o inglês visionário responsável por toda (...)
13.Set.18

American Animals - um pouco de filosofia animalesca

Francisco Quintas
Artistas em expansão. Um quarteto (de atores e personagens) improvável. E um tenso thriller de crime contado como deve ser. Que venham mais destes! Kentucky, 2003. O filme conta a história real de quatro amigos universitários que se juntam para assaltar uma biblioteca onde estão reunidos livros compostos por diversos quadros históricos e extremamente valiosos, iniciando aquele que se tornaria num dos roubos mais conhecidos dos Estados Unidos. O filme foi escrito e realizado pelo (...)
04.Set.18

Papillon - bons remakes podem acontecer

Francisco Quintas
Remakes são a praga atual de Hollywood. Porém, raríssimas são as exceções que, não sendo, no entanto, obras-primas modernas, poderão ser colocadas nas prateleiras de bons filmes. Ao serviço de criminosos de estatuto superior, Henri Charrière é um ladrão ativo em Paris. Em 1931, é enviado para a Guiana Francesa depois de ser injustamente acusado de assassinato. Ao conhecer o falsificador de arte Louis Dega, inicia diversos planos para fugir da cadeia. Para fazer jus à (...)
27.Ago.18

Walter 'Heisenberg' White - violência e a perda da insignificância

Francisco Quintas
Decidi preparar algo diferente. Comemorando o 10º aniversário de mais um conteúdo globalmente adorado, este será o 1º de 3 artigos relacionados com “Breaking Bad”, em vez da tradicional crítica. Cada um destes será direcionado a 1 dos 3 melhores personagens da série. São várias as razões pelas quais as pessoas ficaram agarradas a “Breaking Bad”: a trama em si; os aspetos particulares e refrescantes do seu piloto; o seu estilo dramático e tenso de neo-western; os (...)
16.Jan.18

Three Billboards Outside Ebbing, Missouri (Três Cartazes à Beira da Estrada, 2017) - Crítica

Francisco Quintas
     Uma mãe revoltada com o assassinato da sua filha adolescente, insatisfeita com o precário trabalho da polícia local, toma a decisão de alugar três cartazes à beira de uma estrada com a intenção e esperança que a investigação progrida.      O filme foi escrito e realizado pelo inglês Martin McDonagh, alguém sobre o qual nunca ouvi falar. O primeiro filme que vejo dele não podia deixar uma melhor impressão. Three Billboards Outside Ebbing, Missouri foi o vencedor do Glo (...)
13.Jan.18

Molly's Game (Jogo da Alta-Roda, 2017) - Crítica

Francisco Quintas
     Baseado na autobiografia de Molly Bloom, Molly's Game: From Hollywood's Elite to Wall Street's Billionaire Boys Club, My High-Stakes Adventure in the World of Underground Poker, Molly’s Game conta a sua história como uma decadente atleta olímpica e uma ascendente Rainha do Poker, responsável por uma das redes de jogo ilegal mais recorridas por celebridades nos EUA durante 12 anos.      O filme foi escrito e realizado pelo Aaron Sorkin, que depois de escrever excelentes (...)
02.Jan.18

Good Time (2017) - Crítica

Francisco Quintas
     Bom 2018! Primeira crítica do ano, vamos lá! Depois de um assalto mal-sucedido, Nick, um deficiente mental, é preso. Connie, o irmão mais velho, passa a madrugada a tentar arranjar maneira de o libertar.      O filme foi realizado pelos Irmãos Josh e Benny Safdie, sendo que o Josh co-escreveu o guião com o Ronald Bronstein. Não conhecia o trabalho da dupla, mas fiquei consideravelmente impressionado. O estilo deles é muito autoral e distinto, é um estilo de cinema (...)