Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Vida de um Cinéfilo

Vida de um Cinéfilo

22.Mar.19

Acendalha Datilográfica #4 – Call Me by Your Name

Francisco Quintas
Muitas são as críticas que preferia atirar para a lareira. Não digo que a respetiva da quarta edição da Acendalha Datilográfica seja necessariamente uma atrocidade, mas meramente merecedora de diversos retoques avaliativos e/ou criteriosos. Mas, enfim, há tanta coisa para escrever. Nomeadamente, hoje. A questão é, mesmo nos seus momentos mais silenciosos, introspetivos ou flexivamente interpretativos, quão menos profunda seria a autenticidade de uma das obras máximas de Luca (...)
08.Mar.19

"Matchstick Men" ainda me faz pensar

Francisco Quintas
Um dos meus mais recentes e prazerosos hábitos é fazer a minha vida não ao som de música (como a generalidade das pessoas normais), mas sim ao som de trailers. Sim, trailers de filmes ou séries. Sim, é estranho. Mas, em ligeiras porções de tempo, dá-me um enorme gosto reouvir uma mísera segmentação de algo que já tenha visto ou que queira ansiosamente ver. “Green Book” e “Good Omens”, da Amazon, têm sido as principais cobaias. Contudo, é “Matchstick Men”, do Ridl (...)
01.Mar.19

Acendalha Datilográfica #3 – Breaking Bad

Francisco Quintas
Muito dificilmente continuaria esta rubrica sem mostrar um diálogo de “Breaking Bad”. São inúmeros aqueles que hoje sei de cor de trás para a frente. Talvez aquele que melhor transmite a ideia da mudança do protagonista e anti-herói é um pequeno dos muito regulares confrontos no quarto do casal principal, durante a quarta temporada. Curto e grosso. Fez-se história na televisão, meus amigos. Neste momento e noutros tantos. Sugerido:
28.Fev.19

Godzilla – uma reles dimensão

Francisco Quintas
Os paraquedistas saltam. Lá em baixo, decorre um dos mais horrendos cenários de destruição imagináveis. Criaturas incompreensivelmente monstruosas confrontam-se em São Francisco, dizimando as pequenas amostras da obra civilizacional evidentes das nossas pegadas, como autênticas crianças a quebrar legos. Mais do que qualquer dever patriota, os militares conservam uma vontade de fugir para casa. Agarram-se à missão, no entanto, procurando um veloz refúgio para voltarem as ver os (...)
22.Fev.19

The Sisters Brothers – western à francesa

Francisco Quintas
A morte iminente do clássico faroeste americano é um fenómeno cada vez mais consolidado. É preciso que os pais do cinema venham salvar isto tudo. “The Sisters Brothers” não só é um título curioso, mas também o projeto que (como outros tantos) ressuscita minimamente a esperança de o género cinematográfico dos cowboys voltar a conquistar públicos. No passado LEFFEST, Jacques Audiard falou sobre o jantar que teve com Joel Coen, um dos autores responsáveis pela sobrevivência dos westerns
21.Fev.19

Vice – águia na retaguarda

Francisco Quintas
Em 2015, mesmo que a sua credibilidade de contador de dramas com leves lufadas de ironia e humor seco não fosse totalmente ignorada, Adam McKay aventurou-se numa ligeira aula de economia, rebaixando a sua própria seriedade com participações desnecessárias de personalidades do meio do entretenimento e com um particular trabalho de câmara pseudo-documental com uma lista de toques a aperfeiçoar. Todavia, ao contrário do que é costume rotular, criadores da indústria audiovisual (...)
14.Fev.19

The Favourite - uma maravilhosa tempestade

Francisco Quintas
A natureza fora da caixa de alguma obra de arte é demonstrativa não só da eventual (boa ou má) vontade do público, mas também um eficiente catalisador da sua paciência. Se as pessoas se entediaram assim tanto com “The Lobster” ou com “The Killing of a Sacred Deer”, Yorgos Lanthimos oferece uma história mais ajustável ao cenário americano ou inglês, porém com o cuidado visual e tecnicamente autoral que o definem como um dos mais criativos criadores do cinema contemporâneo. Suge (...)
08.Fev.19

Acendalha Datilográfica #2 – Birdman (or the Unexpected Virtue of Ignorance)

Francisco Quintas
Poucas (ou nenhumas) foram as vezes em que falei sobre “Birdman”. Este, que é facilmente o meu filme preferido de sempre, suscitou a minha (quase irracional) vontade de aprofundar os meus conhecimentos de cinema o máximo que podia. Nem sei se alguma vez escreverei inteiramente sobre a obra-prima do Alejandro González Iñarritu, portanto, de qualquer maneira, está aqui uma cena (uma das melhores, por sinal). Cinéfilos concordarão comigo quando afirmo que uma cena fenomenal é (...)
07.Fev.19

Stranger Things S2 – a nostalgia avançou

Francisco Quintas
A sociedade consegue ser macaca. Em 2017, reparei que toda a gente assistia a um drama lavado com temas cruciais como suicídio adolescente. “13 Reasons Why” era o nome. Uns adoravam, enquanto eu preferia manter a minha decência cultural e encarar aquilo exatamente como deveria ter sido em primeiro lugar: um melodrama desmerecedor. Antes de descarregar a minha vontade em iniciar longas sessões domingueiras de binge-watching (que eventualmente ocorreu com “Breaking Bad”), ouvia (...)
31.Jan.19

Matchstick Men – obrigado por me roubares

Francisco Quintas
O logotipo da Warner Bros. Pictures surge lentamente à frente de uma limpa plataforma de água. Nicolas Cage faz a contagem decrescente e, ao som de ‘The Good Life’, do americano Bobby Darin, os créditos iniciais começam a sobrevoar o ecrã, surgindo à frente de uma distante e calorosa Los Angeles e de volta à reluzente piscina do protagonista. Conhecemos a carpete obsessivamente bem nivelada, o guarda-roupa revestido a sacos de plástico, um quintal, uma piscina e uma (...)