Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Vida de um Cinéfilo

Vida de um Cinéfilo

24.Jul.17

Grave (Raw, 2017) - Crítica

Francisco Quintas
     Eu não ia fazer a crítica deste filme, acho que passou ao lado de toda a gente e quase ninguém viu. Mas acho que, quando o fator surpresa é maior do que nós estávamos à espera, os filmes merecem ganhar destaque.    Justine é uma jovem vegetariana que começa a estudar medicina veterinária. Ao longo da sua estadia naquele que se revela ser um ambiente sujo, esta começa a desenvolver instintos canibais.      Trata-se do directorial debut da Julia Ducournau, que (...)
06.Mai.17

Get Out (Foge, 2017) - Crítica

Francisco Quintas
    Quem diria que um dos criadores de Key & Peele seria um realizador cujo debut fosse tão provocante, satírico, engraçado e original. É provado mais uma vez que quando o género de terror é bem feito, pode resultar num dos filmes mais interessantes do ano.      A história segue um casal inter-racial, em que Chris é negro e Rosie é branca, que viaja até à casa dos pais dela para passar um fim-de-semana. À medida que os dias passam, aquilo que parecia acolhedor e (...)
14.Abr.17

The Devil's Candy (2017) - Crítica

Francisco Quintas
     Sean Byrne promete ser um dos realizadores de terror mais promissores da sua geração, não só na Austrália, mas em todo o mundo! Em 2010 este lançou o seu primeiro longa-metragem de terror, The Loved Ones, que foi muito bem aceite pelos críticos e pelo público em geral. Após 7 anos, The Devil's Candy estreia nas salas de cinema americanas e, com este trabalho, Byrne supera-se.      Não convém dar muitos detalhes sobre o enredo do filme, este é um daqueles que são (...)
05.Abr.17

Life (Vida Inteligente, 2017) - Crítica

Francisco Quintas
     A sinopse oficial do novo filme de Daniel Espinosa, Life, não chama muito à atenção. Trata-se de apenas mais um filme regular sobre invasão/sobrevivência espacial. Depois de pegar muita inspiração de filmes clássicos como Alien, Life até ignora alguns clichês, mas a maior parte deles estam presentes.      Tecnicamente, Life é muito bom, no início abre com um plano sequência elaboradíssimo que, mesmo sendo CGI, me chamou à atenção e manteve-me a ansiar por (...)