Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Vida de um Cinéfilo

Vida de um Cinéfilo

15.Mar.19

A Netflix não é Cinema? Porquê?

Francisco Quintas
Esta discussão não começou ontem em Hollywood. O problema é que se estabelecia ocasionalmente e se deixava estar pelas mesas das nossas casas. Como é evidente, não havia necessidade de escrever sobre isto há 10 anos. Permitam-me que idealize uma observação já concretizada vezes e vezes sem conta – o que acontece é que a quantidade de cinéfilos que têm preferido assistir àquilo que querem, quando querem e onde querem tem vindo a explodir, garantida a facilitada divulgação (...)
01.Mar.19

Acendalha Datilográfica #3 – Breaking Bad

Francisco Quintas
Muito dificilmente continuaria esta rubrica sem mostrar um diálogo de “Breaking Bad”. São inúmeros aqueles que hoje sei de cor de trás para a frente. Talvez aquele que melhor transmite a ideia da mudança do protagonista e anti-herói é um pequeno dos muito regulares confrontos no quarto do casal principal, durante a quarta temporada. Curto e grosso. Fez-se história na televisão, meus amigos. Neste momento e noutros tantos. Sugerido: Walter 'Heisenberg' White - violência e a perda da insignificância (...)
17.Jan.19

Queres ser ator? Mas para quê?

Francisco Quintas
Vivemos numa altura fascinante da indústria audiovisual. Se há quarenta anos apenas um Ridley Scott ou um Woody Allen podiam comandar as suas produções hollywoodianas e fazer filmes com extrema frequência, beneficiados, lá está, pela falta de concorrência, hoje, já que temos todo o equipamento à venda ali ao lado e um mundo digital à distância de um clique onde nos é permitido disponibilizar os nossos trabalhos, vivemos na melhor altura para quem quer ser um guionista ou (...)
21.Out.18

Gustavo Fring – o Don do Frango, da Droga e da Lavandaria

Francisco Quintas
Concluindo esta pequena coletânea de artigos dedicados ao décimo aniversário de “Breaking Bad”, eis que chegamos onde eu queria – falar de um dos melhores antagonistas da televisão. Tal como o químico Walter White e o traficante Jesse Pinkman, o mais genial criminoso da série da AMC merece igualmente um estudo, demonstrativo da sua profundidade enquanto personagem. Se há coisa que distingue Gustavo Fring dos restantes antagonistas da Televisão ou até mesmo do Cinema (já que (...)
18.Set.18

Jesse Pinkman - perda da inocência, martírio e ressurreição

Francisco Quintas
Continuando os artigos dedicados ao 10º aniversário de “Breaking Bad”, este será uma análise do arco do Jesse Pinkman, o agarrado e traficante mais adorado da Televisão. Para quem não sabe, isto será uma surpresa. O criador de “Breaking Bad”, Vince Gilligan, pensou séria e decididamente em matar o Jesse no final da 1ª temporada. Como podemos supor (e, de seguida, confirmar) a interpretação surpreendentemente reveladora e promissora do Aaron Paul demonstrou a fáceis (...)
27.Ago.18

Walter 'Heisenberg' White - violência e a perda da insignificância

Francisco Quintas
Decidi preparar algo diferente. Comemorando o 10º aniversário de mais um conteúdo globalmente adorado, este será o 1º de 3 artigos relacionados com “Breaking Bad”, em vez da tradicional crítica. Cada um destes será direcionado a 1 dos 3 melhores personagens da série. São várias as razões pelas quais as pessoas ficaram agarradas a “Breaking Bad”: a trama em si; os aspetos particulares e refrescantes do seu piloto; o seu estilo dramático e tenso de neo-western; os (...)