Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Vida de um Cinéfilo

Vida de um Cinéfilo

19.Set.18

The Children Act - riqueza visual, potencial narrativo decadente

Francisco Quintas
Já percebi que ainda vou ter de esperar pelos grandes e sérios candidatos aos Óscares. Mas bem que este certamente poderia ser um deles.Baseado no romance homónimo do próprio guionista inglês Ian McEwan, publicado em 2014, o filme acompanha Fiona Maye, uma juíza inglesa que deve controlar o desmoronamento do seu casamento enquanto lida com o recente caso de um adolescente com leucemia e respetivos pais que recusam a transfusão de sangue necessária devido a princípios religiosos.O (...)
15.Set.18

The Dark Knight - a frágil e falsa moralidade humana

Francisco Quintas
Pergunto: O que torna um filme de super-heróis bom? O que o torna distinto dentro do género? Serão as cenas de ação? Será a caracterização traduzida da banda desenhada? Será o tipo de narrativa? Será o arco do protagonista? Será o vilão?Qualquer que seja a resposta, podemos ter a certeza de uma coisa. Christopher Nolan cumpriu o requisito e acertou na mosca. “The Dark Knight” é uma obra-prima … por diversas razões. Primeiro, o inglês visionário responsável por toda a (...)
08.Set.18

Woman Walks Ahead - injustamente inapreciado

Francisco Quintas
Pensar naquilo que um filme deve ter antes sequer de o ver é mais prejudicial para o público do que para os artistas responsáveis.Novamente concluo que acertar na mosca é mais fácil do que agradar os críticos americanos. Não é desgostando de todas obras que se avalie que um crítico se torna num sábio erudito de gaveta. Acontece isto com qualquer blockbuster, como o recente “Star Wars: The Last Jedi”, mas principalmente com obras modernas que toda a gente decide desgostar (...)
06.Set.18

Fahrenheit 451 - um retrato distópico do conservadorismo

Francisco Quintas
Geralmente, os filmes para televisão americanos costumam ser medianos ou medíocres. No entanto, mesmo com a oferta de “The Wizard of Lies”, uma péssima biografia de 2017 sobre o Bernard Madoff que nem o Robert De Niro conseguiu salvar, a HBO já provou que consegue produzir bons conteúdos. Vejamos “All the Way”, a biografia sobre o Lyndon Johnson de 2016 com o Bryan Cranston. Em que categoria será que “Fahrenheit 451” se insere?Baseado no livro homónimo do americano Ray (...)
04.Set.18

Papillon - bons remakes podem acontecer

Francisco Quintas
Remakes são a praga atual de Hollywood. Porém, raríssimas são as exceções que, não sendo, no entanto, obras-primas modernas, poderão ser colocadas nas prateleiras de bons filmes.Ao serviço de criminosos de estatuto superior, Henri Charrière é um ladrão ativo em Paris. Em 1931, é enviado para a Guiana Francesa depois de ser injustamente acusado de assassinato. Ao conhecer o falsificador de arte Louis Dega, inicia diversos planos para fugir da cadeia.Para fazer jus à (...)
31.Ago.18

Slender Man - sinistramente desnecessário, histérico e risível

Francisco Quintas
Aconteceu com “The Amazing Spider-Man”. Aconteceu com “The Emoji Movie”. A Sony tem este sexto sentido de nos dar péssimos filmes que servem apenas para obter aquele cachê. Na última vez que verifiquei, “Indústria” não era sinónimo de “Cinema”.O mais recente filme de terror da Sony Pictures Releasing decorre numa pequena cidade em Massachusetts e acompanha quatro amigas do secundário que ficam fascinadas com o Slender Man, um espírito assassino pertencente a um (...)
25.Fev.18

Palpites para os Óscares 2018

Francisco Quintas
     A cerimónia dos Óscares de 2018 está quase a chegar. Está na hora de analisar todos os vencedores de cerimónias recentes como os Globos de Ouro, os SAG e os BAFTA, que geralmente ditam os favoritos para receberem a tão desejada estatueta dourada. Como prevejo fazer nos próximos anos, dou o meu palpite do candidato possivelmente vencedor e daquele que eu acho que devia ser o vencedor. Apenas não comento sobre as categorias de Melhor Animação nem Melhor Filme Estrangeiro
20.Fev.18

The Shape of Water (A Forma da Água, 2017) - Crítica

Francisco Quintas
   Durante a Guerra Fria, Elisa, uma funcionária muda recém-chegada a um centro de investigação americano, face a novas descobertas e perigos, desenvolve uma afetuosa relação com uma criatura anfibiana humanoide, disputada entre a América e a União Soviética.     O filme foi escrito e realizado pelo mexicano Guillermo del Toro, uma mente extremamente imaginativa que opta mais uma vez por desenvolver personagens e um conflito dentro do seu mundinho pessoal de monstros (...)
04.Fev.18

Phantom Thread (Linha Fantasma, 2017) - Crítica

Francisco Quintas
     Por falar em Daniel Day-Lewis, vamos falar sobre um dos mais elegantes filmes do ano e a sua oferta de despedida! Na década de 50, em Londres, Reynolds Woodcock, um costureiro de renome fundador de uma firma de vestidos direcionada à nobreza, vê a sua vida descarrilhada depois de se relacionar profissional e pessoalmente com uma jovem modelo.     O filme foi escrito e realizado pelo Paul Thomas Anderson, um dos homens em atividade que exerce a sua profissão de maneira mais (...)
03.Fev.18

Darkest Hour (A Hora Mais Negra, 2017) - Crítica

Francisco Quintas
     O filme começa em Maio de 1940, na Inglaterra, e segue os esforços desesperados do recente primeiro-ministro Winston Churchill que, depois da sua inesperada e indesejada eleição, mede forças com os membros do Parlamento Inglês, com a Alemanha e com ele próprio.   O filme foi realizado pelo inglês Joe Wright, responsável por Pride & Prejudice e Atonement. Ao contrário de muitas biopics que aparecem nestas awards seasons, o mais recente filme do realizador é um dos (...)