Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Vida de um Cinéfilo

Vida de um Cinéfilo

15.Mar.19

A Netflix não é Cinema? Porquê?

Francisco Quintas
Esta discussão não começou ontem em Hollywood. O problema é que se estabelecia ocasionalmente e se deixava estar pelas mesas das nossas casas. Como é evidente, não havia necessidade de escrever sobre isto há 10 anos. Permitam-me que idealize uma observação já concretizada vezes e vezes sem conta – o que acontece é que a quantidade de cinéfilos que têm preferido assistir àquilo que querem, quando querem e onde querem tem vindo a explodir, garantida a facilitada divulgação (...)
19.Set.18

The Children Act - riqueza visual, potencial narrativo decadente

Francisco Quintas
Já percebi que ainda vou ter de esperar pelos grandes e sérios candidatos aos Óscares. Mas bem que este certamente poderia ser um deles. Baseado no romance homónimo do próprio guionista inglês Ian McEwan, publicado em 2014, o filme acompanha Fiona Maye, uma juíza inglesa que deve controlar o desmoronamento do seu casamento enquanto lida com o recente caso de um adolescente com leucemia e respetivos pais que recusam a transfusão de sangue necessária devido a princípios religiosos.
08.Set.18

Woman Walks Ahead - injustamente inapreciado

Francisco Quintas
Pensar naquilo que um filme deve ter antes sequer de o ver é mais prejudicial para o público do que para os artistas responsáveis. Novamente concluo que acertar na mosca é mais fácil do que agradar os críticos americanos. Não é desgostando de todas obras que se avalie que um crítico se torna num sábio erudito de gaveta. Acontece isto com qualquer blockbuster, como o recente “Star Wars: The Last Jedi”, mas principalmente com obras modernas que toda a gente decide desgostar (...)
05.Jan.18

The Killing of a Sacred Deer (O Sacrifício de Um Cervo Sagrado, 2017) - Crítica

Francisco Quintas
   Steven, um cardiologista de sucesso, vive tranquilamente com a família enquanto regularmente convive com o filho de um falecido paciente. Após algumas revelações, fenómenos inexplicáveis acontecem.      O filme foi escrito e realizado pelo grego Yorgos Lanthimos, responsável pelo bom The Lobster, de 2015. É um realizador muito autoral e criativo, com um enorme interesse em estudar a natureza fria, distante e insensível do ser humano. Se em The Losbter, era explorada a (...)
29.Dez.17

It Comes at Night (Ele Vem à Noite, 2017) - Crítica

Francisco Quintas
     Num cenário pós-apocalíptico, uma família luta pela sobrevivência face a um vírus altamente contagioso. Quando outra família desconhecida pede refúgio, estranhos fenómenos começam a acontecer.      O filme foi escrito e realizado pelo americano Trey Edward Shults e esta é apenas a sua segunda longa metragem, depois do ótimo directorial debut que foi Krisha, de 2016 (disponível na Netflix). E, tal como Krisha, It Comes at Night é um filme subjetivo, é uma visão (...)
17.Mai.17

20th Century Women (Mulheres do Século XX, 2016) - Crítica

Francisco Quintas
     Chega-me um filme extremamente melancólico e confortável ao mesmo tempo. Eu pensei em dispensá-lo por não me sentir assim tão interessado na história, mas Annette Bening no elenco convenceu-me a assistir. E ainda bem que eu o fiz, senão quem perdia era eu.      O filme passa-se em Santa Barbara, na Califórnia em 1979 e segue uma mãe chamada Dorothea numa altura da sua vida em que esta se sente ultrapassada pelos anos que decorrem e durante a sua tentativa de voltar a (...)