Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Vida de um Cinéfilo

Vida de um Cinéfilo

30.Dez.17

Wind River (2017) - Crítica

Francisco Quintas
     Cory, um caçador, e Jane, uma agente do FBI, unem forças para investigar um homicídio ocorrente nas largas e misteriosas montanhas de neves de Wind River, no Wyoming.     O filme foi escrito e realizado pelo Taylor Sheridan, aliás, este é apenas o seu segundo trabalho como realizador depois de escrever ótimos filmes de crime como Sicario e Hell or High Water. O seu talento para desenvolver um mistério e escrever bons diálogos é inegável. Os seus dois últimos guiões (...)
10.Dez.17

Justice League (Liga da Justiça, 2017) - Crítica

Francisco Quintas
     Depois da morte do Superman, o Batman e a Wonder Woman juntam-se para reunir uma equipa de super-heróis dispostos a combater para derrotar uma nova ameaça.    O filme foi realizado pelo Zack Snyder, mas devido à sua inesperada saída passou por inúmeras refilmagens e alterações na pós-produção a cabo do Joss Whedon, que co-escreveu o guião final. Como se pode imaginar, a produção e pós-produção de Justice League foi um inferno e, nos dias de hoje, são raros os bl (...)
11.Nov.17

Thor: Ragnarok (2017) - Crítica

Francisco Quintas
     Vale sempre a pena esperar pelas duas cenas pós-créditos, a não ser que a cena dure 45 segundos e que não acrescente nada à informação já dada sobre futuros filmes. Enfim …      Thor e Hulk estão de volta e, desta vez, depois de se reencontrarem por acaso num planeta diferente, os dois devem unir forças para impedir que a irmã desconhecida do Thor, Hela, destrua Asgard por completo.     O filme foi realizado pelo neozelandês Taika Waititi, um realizador em (...)
26.Out.17

Kingsman: The Golden Circle (Kingsman: O Círculo Dourado, 2017) - Crítica

Francisco Quintas
     Parcerias entre americanos e ingleses podem funcionar muito bem. Contudo, há que reconhecer que a América nunca terá filmes de espionagem tão bons como os da Grã-Bretanha!      Depois da sede e milhares de agentes da Kingsman serem exterminados por uma misteriosa criminosa, cabe mais uma vez a Eggsy salvar o mundo. Desta vez, este conta com a ajuda de uma organização secreta igualmente peculiar e pronta para o combate.     O filme é novamente escrito e realizado pelo (...)
24.Out.17

Kingsman: The Secret Service (Kingsman: Serviços Secretos, 2015) - Crítica

Francisco Quintas
     Assisti a Kingsman: The Golden Circle no passado fim-de-semana e pensei em fazer a crítica do original. Porque não? Afinal, o primeiro Kingsman foi um dos melhores filmes de 2015.      Baseado na série de banda desenhada Kingsman, escrita por Mark Millar e Dave Gibbons e publicada em 2012, o filme conta a história de Eggsy, um jovem londrino que se forma na organização secreta britânica de espionagem Kingsman, com o objetivo de combater o vilão megalomaníaco Valentine. (...)
17.Out.17

The Mummy (A Múmia, 2017) - Crítica

Francisco Quintas
     Estava na dúvida se via este filme. Nunca vi nenhum filme sobre monstros clássicos, por isso sou totalmente inculto sobre esse género. Mas porque não? O Tom Cruise está cá.      Um grupo de arqueólogos descobre um túmulo escondido de uma princesa do Egito mumificada que, uma vez acordada, quer destruir o mundo.    The Mummy é o primeiro filme de um novo universo cinematográfico desenvolvido pela Universal Pictures chamado Dark Universe. Trata-se de um novo rumo para (...)
15.Ago.17

Baby Driver (Alta Velocidade, 2017) - Crítica

Francisco Quintas
     Era uma crítica ou de Baby Driver ou de The Emoji Movie. A animação não é ofensivamente má como já disseram, mas boa ela não é. É tão má a um ponto de me fazer perder a vontade de escrever para este blog. Verdade seja dita, a história não é interessante, é previsível. É um rip-off de Zootopia com Inside Out, com um bocadinho de Shrek, só que contado da maneira mais convencional e genérica imaginária. Não percam o vosso tempo.      Baby, um motorista (...)
13.Jul.17

War for the Planet of the Apes (Planeta dos Macacos: A Guerra, 2017) - Crítica

Francisco Quintas
     Nos dias de hoje, é muito difícil um remake/reboot ser bom. Mais difícil ainda é uma franchise inteira de reboots ser boa. Mais difícil ainda é os filmes de uma franchise de reboots serem progressivamente melhores que o seu antecessor. Ainda há fé no cinema contemporâneo!    Depois dos acontecimentos significativos do filme anterior, Caesar tenta preservar a paz do povo dos macacos, ainda a habitar escondidos na floresta. Assim que um Coronel sádico aparece para (...)
11.Jul.17

Dawn of the Planet of the Apes (Planeta dos Macacos: A Revolta, 2014) - Crítica

Francisco Quintas
     O ano de 2014 foi um dos melhores anos para o cinema recente. Esse ano deu-nos obras primas espetaculares que, futuramente, tornar-se-ão clássicos magníficos. Birdman, Whiplash e Enemy são alguns deles … Dawn of the Planet of the Apes também pertence a esse grupo!      10 anos passaram desde os acontecimentos do filme passado. Agora, Caesar constituiu uma família e mantém o seu esforço para defender o seu povo dos humanos e evitar uma possível guerra.     A (...)
10.Jul.17

Rise of the Planet of the Apes (Planeta dos Macacos: A Origem, 2011) - Crítica

Francisco Quintas
     War for the Planet of the Apes está a chegar. Em outubro de 2016, o Andy Serkis confirmou que um quarto filme está a ser preparado. Por isso, mesmo que já não se possa chamar trilogia a esta franchise, esta é sem dúvida uma das melhores séries reboot de sempre. Quem diria que uma franchise de remakes/reboots podia ser tão boa?      Uma substância destinada para curar o Alzheimer permite a um macaco evoluir intelectualmente num nível absurdo. Desta maneira, perante a (...)