Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Vida de um Cinéfilo

Vida de um Cinéfilo

22.Mai.19

Acendalha Datilográfica #7 - The Great Dictator

Francisco Quintas
Ainda me lembro da primeira vez que assisti a “The Great Dictator”. Pena foi conhecer posteriormente a infeliz carreira do seu autor. Após as primeiras exibições do filme de 1940, Charlie Chaplin, cara essa arremessada pelos piores insultos nas salas de cinema, foi expulso dos Estados Unidos, país que o acolheu com tamanha admiração nas primeiras décadas do século XX e que, com agravantes paranoias e perante a desnecessariamente alarmista luta contra o comunismo, o expulsou, (...)
21.Mai.19

Complete Savages S1 – com pouquíssimo para ensinar e tanto para aprender

Francisco Quintas
No meio da aurirrosada proclamação de bacoradas machistas, sentados numa mesa circular intencionalmente destinada a esplanadas para familiares piqueniques americanos, os Savage digerem alarvemente os baldes de amanteigadas e gordurosas asas e coxas de frango frito. No meio de descorteses e hilariantes grunhidos, os filhos, despreocupadamente a partilhar com o animal de estimação os assentos do diurno jantar, lançam a bomba “Então, encontraste uma empregada?”, esperando respostas (...)
11.Abr.19

Green Book – inspirado e consciente

Francisco Quintas
Os Estados Unidos são um país de extremos. Tanto uma personalidade como uma obra do entretenimento podem ser elevados aos céus ou condescendentemente desconsiderados, escarnecidos e desprezados. Surja a mais levemente fundamentada possibilidade de exclusão de um determinado elemento do particularmente tóxico meio da celebridade e do seu produto, o país de Donald Trump tem-se vindo a revelar um dos menos aliciantes palcos para os cineastas, guionistas e atores, seja para o bem ou para (...)
07.Mar.19

I AM COMPLETELY FED UP!

Francisco Quintas
Sitcom é um formato fácil. Cada vez mais os fãs hardcore de "How I Met Your Mother" ou de "The Big Band Theory" se queixavam da adiada chegada do fim, com medo de se cansarem involuntariamente dos queridos personagens, retendo deles as recentes lembranças de piadas insípidas. Tenho sentimentos semelhantes com outras séries. Mas, ao contrário do que o próspero modo atual de cozinhar séries de comédia tem revelado, o formato das habituais histórias caricaturais com risos e (...)
21.Fev.19

Vice – águia na retaguarda

Francisco Quintas
Em 2015, mesmo que a sua credibilidade de contador de dramas com leves lufadas de ironia e humor seco não fosse totalmente ignorada, Adam McKay aventurou-se numa ligeira aula de economia, rebaixando a sua própria seriedade com participações desnecessárias de personalidades do meio do entretenimento e com um particular trabalho de câmara pseudo-documental com uma lista de toques a aperfeiçoar. Todavia, ao contrário do que é costume rotular, criadores da indústria audiovisual (...)
08.Fev.19

Acendalha Datilográfica #2 – Birdman (or the Unexpected Virtue of Ignorance)

Francisco Quintas
Poucas (ou nenhumas) foram as vezes em que falei sobre “Birdman”. Este, que é facilmente o meu filme preferido de sempre, suscitou a minha (quase irracional) vontade de aprofundar os meus conhecimentos de cinema o máximo que podia. Nem sei se alguma vez escreverei inteiramente sobre a obra-prima do Alejandro González Iñarritu, portanto, de qualquer maneira, está aqui uma cena (uma das melhores, por sinal). Cinéfilos concordarão comigo quando afirmo que uma cena fenomenal é (...)
07.Fev.19

Stranger Things S2 – a nostalgia avançou

Francisco Quintas
A sociedade consegue ser macaca. Em 2017, reparei que toda a gente assistia a um drama lavado com temas cruciais como suicídio adolescente. “13 Reasons Why” era o nome. Uns adoravam, enquanto eu preferia manter a minha decência cultural e encarar aquilo exatamente como deveria ter sido em primeiro lugar: um melodrama desmerecedor. Antes de descarregar a minha vontade em iniciar longas sessões domingueiras de binge-watching (que eventualmente ocorreu com “Breaking Bad”), ouvia (...)
31.Jan.19

Matchstick Men – obrigado por me roubares

Francisco Quintas
O logotipo da Warner Bros. Pictures surge lentamente à frente de uma limpa plataforma de água. Nicolas Cage faz a contagem decrescente e, ao som de ‘The Good Life’, do americano Bobby Darin, os créditos iniciais começam a sobrevoar o ecrã, surgindo à frente de uma distante e calorosa Los Angeles e de volta à reluzente piscina do protagonista. Conhecemos a carpete obsessivamente bem nivelada, o guarda-roupa revestido a sacos de plástico, um quintal, uma piscina e uma (...)
24.Jan.19

Stranger Things S1 – requisitar o irresistível supérfluo

Francisco Quintas
No meio da oferta televisiva e cinematográfica de uma incontrolável escala que temos recebido nos últimos anos, para além de produzir ou assistir a conteúdo inteiramente visionário ou original, fica difícil para os espectadores se decidirem entre aquilo que escolhem para sessões de binge-watching. Sem grandes rodeios hoje, aquilo que apenas pretendo constatar é: todos nós gostamos de voltar à nossa infância. Quem é que pediu as sequelas dos filmes da Pixar? Quem é queria (...)
17.Jan.19

Queres ser ator? Mas para quê?

Francisco Quintas
Vivemos numa altura fascinante da indústria audiovisual. Se há quarenta anos apenas um Ridley Scott ou um Woody Allen podiam comandar as suas produções hollywoodianas e fazer filmes com extrema frequência, beneficiados, lá está, pela falta de concorrência, hoje, já que temos todo o equipamento à venda ali ao lado e um mundo digital à distância de um clique onde nos é permitido disponibilizar os nossos trabalhos, vivemos na melhor altura para quem quer ser um guionista ou (...)