Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Vida de um Cinéfilo

Vida de um Cinéfilo

14.Fev.19

The Favourite - uma maravilhosa tempestade

Francisco Quintas
A natureza fora da caixa de alguma obra de arte é demonstrativa não só da eventual (boa ou má) vontade do público, mas também um eficiente catalisador da sua paciência. Se as pessoas se entediaram assim tanto com “The Lobster” ou com “The Killing of a Sacred Deer”, Yorgos Lanthimos oferece uma história mais ajustável ao cenário americano ou inglês, porém com o cuidado visual e tecnicamente autoral que o definem como um dos mais criativos criadores do cinema contemporâneo.Sugeri (...)
31.Jan.19

Matchstick Men – obrigado por me roubares

Francisco Quintas
O logotipo da Warner Bros. Pictures surge lentamente à frente de uma limpa plataforma de água. Nicolas Cage faz a contagem decrescente e, ao som de ‘The Good Life’, do americano Bobby Darin, os créditos iniciais começam a sobrevoar o ecrã, surgindo à frente de uma distante e calorosa Los Angeles e de volta à reluzente piscina do protagonista. Conhecemos a carpete obsessivamente bem nivelada, o guarda-roupa revestido a sacos de plástico, um quintal, uma piscina e uma (...)
11.Jan.19

Vox Lux – excessividade alegórica ululante

Francisco Quintas
Chega-nos um filme bastante autoral e provindo de territórios característicos de uma estranheza semelhante à do Yorgos Lanthimos e uma mestria visual inspirada no trabalho do Stanley Kubrick. Definitivamente não para toda a gente. Mas bom?A segunda longa-metragem realizada pelo ator americano Brady Corbet acompanha a transição da juventude para a vida adulta de uma adolescente que, após vítima de um ato de extrema violência, inicia uma carreira musical que a eleva ao estatuo de popstar
10.Jan.19

Bird Box – bom terror, prescindível processo

Francisco Quintas
Com uma receção comercial surpreendente, críticas mistas e uma infinita porta para memes, “Bird Box” fez-me reavaliar a minha perceção da Sandra Bullock.Ao contrário do que Hollywood nos quer convencer constantemente com algumas insípidas ofertas, a cara da mais recente história de suspense disponível na Netflix não está entre as melhores atrizes dos Estados Unidos. Sim, a Sandra Bullock está ótima em obras como “Gravity” e “Our Brand is Crisis” (estou sozinho na (...)
03.Jan.19

The Old Man & the Gun – sentimentalismo de faroeste

Francisco Quintas
Catalogar este filme apenas como o último trabalho de Robert Redford seria incorreto. Tanto porque David Lowery promete bom cinema, mas mais porque o ator octogenário confirmou arrependimento em anunciar o seu fim profissional.De qualquer forma, eis que recebemos mais um filme feito por gente cujas inspirações se enraízam no cinema old school. Depois do fenomenal “A Ghost Story”, seria praticamente impossível que David Lowery se superasse. No entanto, ainda que não esteja de (...)
27.Dez.18

Creed II – a sequela do prelúdio para mais sequelas

Francisco Quintas
Quando “Creed” foi anunciado, mais de meio mundo torceu o nariz. Para grande surpresa coletiva, o sétimo filme de uma franchise com (na altura) quase quarenta anos revelou ser um dos seus melhores. Por isso, como será daqui para a frente?“Rocky IV” era pouco mais que uma propaganda da suposta exemplaridade americana durante a Guerra Fria. Aliás, era difícil que um combate entre um pugilista italo-americano e um pugilista russo da nova geração não abrangesse os valores (...)
20.Dez.18

Colette – oportunismo ou adequação previsível?

Francisco Quintas
Oscar baits são as maiores pragas para os críticos. Mais do que um novo filme de super-heróis despretensiosamente engraçado ou uma peça autoral verdadeiramente prepotente e autocongratuladora, as biografias caçadoras de prémios são alvos de duras palavras.Sim, nos últimos anos tivemos bastantes filmes do mesmo nível. “The Theory of Everyting” e “The Danish Girl” (particularmente ambos com Eddie Redmayne) são os primeiros que me ocorrem na cabeça. E, com a exceção da (...)
04.Dez.18

L’homme fidèle – o mediano e bom francês

Francisco Quintas
Se há coisa que os franceses sempre saberão fazer é cinema. Façam obras nostálgicas ou modernistas, os pais da Sétima Arte sabem sempre o que fazem.Abel, um jovem jornalista, reencontra uma ex-namorada que recentemente perdeu o marido com qual o trai há quase uma década. Neste novo período, este reavalia os seus sentimentos.Trata-se da segunda longa-metragem protagonizada, escrita e realizada pelo Louis Garrel. Este que se tornou conhecido por protagonizar “The Dreamers”, do (...)
29.Nov.18

Beautiful Boy – doses silenciosas de paternalismo

Francisco Quintas
Mesmo com um texto acentuadamente real, “Beautiful Boy” é principalmente segurado pelas suas interpretações centrais, que elevam o mesmo além de um drama medianamente carregado.Baseado nos livros de memórias dos próprios protagonistas ‘Beautiful Boy: A Father's Journey Through His Son's Addiction’ e ‘Tweak: Growing Up on Methamphetamines’, o filme acompanha um pai divorciado que lida com o recente e pesado vício em drogas do filho adolescente.Depois de deixar a sua marca com (...)
08.Nov.18

The Big Lebowski – banalidade inusitada

Francisco Quintas
“The Big Lebowski” é um dos grandes filmes dos Irmãos Coen. Foi lançado no dia 6 de Março de 1998 nos Estados Unidos, chegando a Portugal no dia 30 de Outubro. 20 anos depois, o filme permanece engraçado, satírico e socialmente relevante. Vejamos porquê.Para além de uma gema importantíssima na filmografia dos Irmãos Coen, chamativa não só para percebermos todas as imagens de marca da dupla de realizadores americana, mas também como uma contextualização histórica do seu (...)