Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Vida de um Cinéfilo

Vida de um Cinéfilo

04.Dez.18

L’homme fidèle – o mediano e bom francês

Francisco Quintas
Se há coisa que os franceses sempre saberão fazer é cinema. Façam obras nostálgicas ou modernistas, os pais da Sétima Arte sabem sempre o que fazem. Abel, um jovem jornalista, reencontra uma ex-namorada que recentemente perdeu o marido com qual o trai há quase uma década. Neste novo período, este reavalia os seus sentimentos. Trata-se da segunda longa-metragem protagonizada, escrita e realizada pelo Louis Garrel. Este que se tornou conhecido por protagonizar “The Dreamers”, (...)
24.Jul.17

Grave (Raw, 2017) - Crítica

Francisco Quintas
     Eu não ia fazer a crítica deste filme, acho que passou ao lado de toda a gente e quase ninguém viu. Mas acho que, quando o fator surpresa é maior do que nós estávamos à espera, os filmes merecem ganhar destaque.    Justine é uma jovem vegetariana que começa a estudar medicina veterinária. Ao longo da sua estadia naquele que se revela ser um ambiente sujo, esta começa a desenvolver instintos canibais.      Trata-se do directorial debut da Julia Ducournau, que (...)
13.Jun.17

Neruda (2016) - Crítica

Francisco Quintas
    2016 foi um dos anos mais virtuosos para o cinema estrangeiro contemporâneo, provou-se extremamente essencial para a cada vez maior atenção que filmes como este devem receber. Chega de Hollywood, filmes estrangeiros é o que está a dar.     Trata-se de um filme franco-chileno que acompanha o inspetor Óscar Pelochonneau, que perseguiu Pablo Neruda, o poeta chileno vencedor de um prémio Nobel, que se torna fugitivo nos anos 40 por se juntar ao Partido Comunista.     O filme (...)
03.Jun.17

Ma vie de Courgette (A Minha Vida de Courgette, 2016) - Crítica

Francisco Quintas
    Cada vez mais aparecem filmes de animação que desafiam o estilo Pixar, a verdade é que estes cada vez são melhores, mas não têm o reconhecimento merecido. O stop-motion é um estilo pouco reconhecido, está na altura de isto mudar.      Baseado no livro publicado em 2002, Autobiographie d'une Courgette, de Gilles Paris, que co-escreveu o guião, o filme conta a história de Courgette que, depois de perder a mãe, é enviado para um orfanato. Assim que faz novas amizades, (...)