Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Vida de um Cinéfilo

Vida de um Cinéfilo

17.Jan.19

Queres ser ator? Mas para quê?

Francisco Quintas
Vivemos numa altura fascinante da indústria audiovisual. Se há quarenta anos apenas um Ridley Scott ou um Woody Allen podiam comandar as suas produções hollywoodianas e fazer filmes com extrema frequência, beneficiados, lá está, pela falta de concorrência, hoje, já que temos todo o equipamento à venda ali ao lado e um mundo digital à distância de um clique onde nos é permitido disponibilizar os nossos trabalhos, vivemos na melhor altura para quem quer ser um guionista ou (...)
19.Nov.18

Sara T1 - a monumental e definitiva sátira televisiva portuguesa

Francisco Quintas
Depois de brindar a Europa com “São Jorge”, Marco Martins trabalha pela primeira vez na televisão… E foi assim que nasceu “Sara”, a melhor série de 2018. Sara Moreno, uma atriz recém-quarentona conhecida pelos papéis em filmes de autor e pela particular capacidade de chorar vê-se num descarrilamento profissional e emocional quando perde precisamente a sua maior arma dramática. Na tentativa de se manter em atividade, aceita protagonizar uma novela e inserir-se nas mais (...)
15.Jan.18

Uma Reflexão sobre "Actores", de Marco Martins

Francisco Quintas
     Hoje decidi fazer algo diferente. Foram várias as vezes em que me apeteceu escrever sobre uma peça de teatro. Nunca aconteceu. Venho falar hoje de uma peça sobretudo única, que me provocou uma reflexão pela qual nunca me tinha visto, apesar de ser algo mais íntimo e introspetivo, na verdade, para o próprio elenco do que para o público em si. Actores não é a típica viagem dramática ao qual estamos acostumados nos teatros portugueses, mas uma experiência inesquecível. (...)
05.Nov.17

São Jorge (2017) - Crítica

Francisco Quintas
   2011, o primeiro ano da Troika em Portugal, são inúmeros os casos de endividamento de empresas e famílias e os planos de restruturação económica no país. Jorge, um pugilista falhado e endividado, consegue um trabalho como cobrador de dívidas e, ironicamente, começa a cobrar aqueles que, tal como ele, se vêm abraçados a dívidas.      O filme foi escrito e realizado pelo Marco Martins, responsável por Alice, de 2005 e Como Desenhar um Círculo Perfeito, de 2010, um (...)