Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Vida de um Cinéfilo

Vida de um Cinéfilo

06.Mar.18

Pride & Prejudice (Orgulho e Preconceito, 2005) - Análise e Crítica

Francisco Quintas
     Baseado no clássico homónimo da Jane Austen, publicado em 1813, o filme conta a história de Elizabeth “Lizzie” Bennet, uma das filhas de uma família da nobreza agrária, que se recusa a casar com alguém que não ame. Assim que a irmã mais velha, Jane, encontra um pretendente, Lizzie conhece Mr. Darcy, um nobre aparentemente arrogante. Enquanto se conhecem, ambos descobrem inúmeras características um do outro, revelando assim facetas que desconheciam e escondiam.    (...)
04.Fev.18

Phantom Thread (Linha Fantasma, 2017) - Crítica

Francisco Quintas
     Por falar em Daniel Day-Lewis, vamos falar sobre um dos mais elegantes filmes do ano e a sua oferta de despedida! Na década de 50, em Londres, Reynolds Woodcock, um costureiro de renome fundador de uma firma de vestidos direcionada à nobreza, vê a sua vida descarrilhada depois de se relacionar profissional e pessoalmente com uma jovem modelo.     O filme foi escrito e realizado pelo Paul Thomas Anderson, um dos homens em atividade que exerce a sua profissão de maneira mais (...)
04.Fev.18

There Will Be Blood (Haverá Sangue, 2007) - Análise e Crítica

Francisco Quintas
     Phantom Thread, o último trabalho do Daniel Day-Lewis, já chegou a Portugal. Falaremos sobre There Will Be Blood, que fez 10 anos e demonstra o ator na sua melhor forma. Atenção: Este texto contem SPOILERS!   Baseado no livro Oil!, de Upton Sinclair, publicado em 1926, o filme começa em 1898 e segue Daniel Plainview, um pequeno, porém ascendente “homem do petróleo”, na sua tentativa de perfurar os terrenos de uma cidade pacata de Little Boston.  O filme foi escrito e (...)
03.Fev.18

Darkest Hour (A Hora Mais Negra, 2017) - Crítica

Francisco Quintas
     O filme começa em Maio de 1940, na Inglaterra, e segue os esforços desesperados do recente primeiro-ministro Winston Churchill que, depois da sua inesperada e indesejada eleição, mede forças com os membros do Parlamento Inglês, com a Alemanha e com ele próprio.   O filme foi realizado pelo inglês Joe Wright, responsável por Pride & Prejudice e Atonement. Ao contrário de muitas biopics que aparecem nestas awards seasons, o mais recente filme do realizador é um dos (...)
27.Jan.18

The Disaster Artist (Um Desastre de Artista, 2017) - Crítica

Francisco Quintas
     Baseado na autobiografia The Disaster Artist: My Life Inside The Room, the Greatest Bad Movie Ever Made, de Greg Sestero, publicado em 2013, o filme conta a sua história como um aspirante ator que, em 1998, durante uma aula de teatro, conhece o misterioso Tommy Wiseau, igualmente determinado em alcançar uma carreira em Hollywood. Perante os obstáculos às tentativas de sucesso dos dois, estes decidem fazer o seu próprio filme, The Room (lançado em 2003), que mais tarde se (...)
13.Jan.18

Molly's Game (Jogo da Alta-Roda, 2017) - Crítica

Francisco Quintas
     Baseado na autobiografia de Molly Bloom, Molly's Game: From Hollywood's Elite to Wall Street's Billionaire Boys Club, My High-Stakes Adventure in the World of Underground Poker, Molly’s Game conta a sua história como uma decadente atleta olímpica e uma ascendente Rainha do Poker, responsável por uma das redes de jogo ilegal mais recorridas por celebridades nos EUA durante 12 anos.     O filme foi escrito e realizado pelo Aaron Sorkin, que depois de escrever excelentes (...)
02.Jan.18

Good Time (2017) - Crítica

Francisco Quintas
     Bom 2018! Primeira crítica do ano, vamos lá! Depois de um assalto mal-sucedido, Nick, um deficiente mental, é preso. Connie, o irmão mais velho, passa a madrugada a tentar arranjar maneira de o libertar.     O filme foi realizado pelos Irmãos Josh e Benny Safdie, sendo que o Josh co-escreveu o guião com o Ronald Bronstein. Não conhecia o trabalho da dupla, mas fiquei consideravelmente impressionado. O estilo deles é muito autoral e distinto, é um estilo de cinema muito (...)
30.Dez.17

Wind River (2017) - Crítica

Francisco Quintas
     Cory, um caçador, e Jane, uma agente do FBI, unem forças para investigar um homicídio ocorrente nas largas e misteriosas montanhas de neves de Wind River, no Wyoming.    O filme foi escrito e realizado pelo Taylor Sheridan, aliás, este é apenas o seu segundo trabalho como realizador depois de escrever ótimos filmes de crime como Sicario e Hell or High Water. O seu talento para desenvolver um mistério e escrever bons diálogos é inegável. Os seus dois últimos guiões (...)
28.Dez.17

American Made (Barry Seal: Traficante Americano, 2017) - Crítica

Francisco Quintas
     O filme conta a história real de Barry Seal, um piloto comercial que, em 1978 começou a trabalhar para a CIA e, no futuro, para Pablo Escobar, numa relação de trocas de armas e droga.     O filme foi realizado pelo Doug Liman, responsável pelo ótimo Edge of Tomorrow, de 2014, e pelo apenas “ok” The Wall, deste ano. Perdoem-me, nunca vi nada do Jason Bourne. Algo que este consegue fazer facilmente aqui é injetar o mínimo de interesse numa história pouco conhecida e, (...)
23.Dez.17

Star Wars: The Last Jedi (Star Wars: Os Últimos Jedi, 2017) - Crítica

Francisco Quintas
     As pessoas têm de se decidir. Hoje em dia ou se odeia sem hesitação ou se ama cegamente seja o que for. Há quem exageradamente pense que Star Wars (ler crítica) são os melhores filmes já feitos enquanto há quem desdenhe esta franchise. Eu cá gosto de ficar no meio termo.     Depois dos acontecimentos do filme anterior, Rey deve unir forças com Luke e se reencontrar com os (...)