Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Vida de um Cinéfilo

Vida de um Cinéfilo

15.Mar.19

A Netflix não é Cinema? Porquê?

Francisco Quintas
Esta discussão não começou ontem em Hollywood. O problema é que se estabelecia ocasionalmente e se deixava estar pelas mesas das nossas casas. Como é evidente, não havia necessidade de escrever sobre isto há 10 anos. Permitam-me que idealize uma observação já concretizada vezes e vezes sem conta – o que acontece é que a quantidade de cinéfilos que têm preferido assistir àquilo que querem, quando querem e onde querem tem vindo a explodir, garantida a facilitada divulgação (...)
17.Jan.19

Queres ser ator? Mas para quê?

Francisco Quintas
Vivemos numa altura fascinante da indústria audiovisual. Se há quarenta anos apenas um Ridley Scott ou um Woody Allen podiam comandar as suas produções hollywoodianas e fazer filmes com extrema frequência, beneficiados, lá está, pela falta de concorrência, hoje, já que temos todo o equipamento à venda ali ao lado e um mundo digital à distância de um clique onde nos é permitido disponibilizar os nossos trabalhos, vivemos na melhor altura para quem quer ser um guionista ou (...)
16.Dez.18

Idiotas, ponto. T1 – risonho rumo ao ridículo

Francisco Quintas
A permanência de qualidade (temática ou técnica) dos conteúdos cómicos (cinematográficos ou televisivos) portugueses é um dos aspetos mais difíceis de manter no nosso progresso audiovisual. Nos recentes anos, tem sido quase impossível não vermos comédias desastrosas. Desde um “Balas & Bolinhos”, passando por “13 Pecados Rurais” e “Mau Mau Maria”, até chegar a um “O Pátio das Cantigas” ou aos deprimentes trailers de “Tiro e Queda”, a comédia mais mainstream (...)
19.Nov.18

Sara T1 - a monumental e definitiva sátira televisiva portuguesa

Francisco Quintas
Depois de brindar a Europa com “São Jorge”, Marco Martins trabalha pela primeira vez na televisão… E foi assim que nasceu “Sara”, a melhor série de 2018. Sara Moreno, uma atriz recém-quarentona conhecida pelos papéis em filmes de autor e pela particular capacidade de chorar vê-se num descarrilamento profissional e emocional quando perde precisamente a sua maior arma dramática. Na tentativa de se manter em atividade, aceita protagonizar uma novela e inserir-se nas mais (...)
18.Jan.18

Madre Paula T1 (2017) - Crítica

Francisco Quintas
     Baseado no romance homónimo da Patrícia Müller, a nova série da RTP decorre no Século XVIII e acompanha Paula, uma jovem de origens pobres que, como habitualmente acontecia, é mandada pelo pai mercante para um convento. Na sua nova vida, esta evolui pessoal, religiosa e sexualmente, passando por diversas experiências, uma delas sendo o desenvolvimento de uma intensa e inesperada relação com D. João V, o magnânimo rei de Portugal.    Todos os episódios foram escritos pela Ed (...)