Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Vida de um Cinéfilo

Vida de um Cinéfilo

23.Dez.17

Star Wars: The Last Jedi (Star Wars: Os Últimos Jedi, 2017) - Crítica

Francisco Quintas
     As pessoas têm de se decidir. Hoje em dia ou se odeia sem hesitação ou se ama cegamente seja o que for. Há quem exageradamente pense que Star Wars (ler crítica) são os melhores filmes já feitos enquanto há quem desdenhe esta franchise. Eu cá gosto de ficar no meio termo.     Depois dos acontecimentos do filme anterior, Rey deve unir forças com Luke e se reencontrar com os (...)
09.Out.17

Blade Runner 2049 (2017) - Crítica

Francisco Quintas
     Obrigado Dennis Villeneuve! Obrigado Ridley Scott! Decerto que a minha geração desprezará este filme por não estar a par da sua origem. É algo triste que as verdadeiras obras-primas da Sétima Arte estejam cada vez mais longes das novas gerações. Já não se fazem filmes assim. Mas quem foi o vosso público mesmo? Acho que sabemos a resposta.     Passaram-se 30 anos desde os acontecimentos ocorrentes em 2019. Uma nova geração de Blade Runners procura achar respostas (...)
04.Out.17

Blade Runner (Perigo Iminente, 1982) - Análise e Crítica

Francisco Quintas
     Podia também ter escrito esta crítica em Junho, quando Blade Runner fez 35 anos. Mas, visto que Blade Runner 2049 (ler crítica) chega já esta semana, está na hora de falarmos do original clássico de ‘82.     Baseado no romance de sci-fi Do Androids Dream of Electric Sheep?, escrito por Philip K. Dick e publicado em 1968, o filme passa-se em Los Angeles, em 2019, e (...)
13.Jul.17

War for the Planet of the Apes (Planeta dos Macacos: A Guerra, 2017) - Crítica

Francisco Quintas
     Nos dias de hoje, é muito difícil um remake/reboot ser bom. Mais difícil ainda é uma franchise inteira de reboots ser boa. Mais difícil ainda é os filmes de uma franchise de reboots serem progressivamente melhores que o seu antecessor. Ainda há fé no cinema contemporâneo!   Depois dos acontecimentos significativos do filme anterior, Caesar tenta preservar a paz do povo dos macacos, ainda a habitar escondidos na floresta. Assim que um Coronel sádico aparece para (...)
11.Jul.17

Dawn of the Planet of the Apes (Planeta dos Macacos: A Revolta, 2014) - Crítica

Francisco Quintas
     O ano de 2014 foi um dos melhores anos para o cinema recente. Esse ano deu-nos obras primas espetaculares que, futuramente, tornar-se-ão clássicos magníficos. Birdman, Whiplash e Enemy são alguns deles … Dawn of the Planet of the Apes também pertence a esse grupo!     10 anos passaram desde os acontecimentos do filme passado. Agora, Caesar constituiu uma família e mantém o seu esforço para defender o seu povo dos humanos e evitar uma possível guerra.    A (...)
10.Jul.17

Rise of the Planet of the Apes (Planeta dos Macacos: A Origem, 2011) - Crítica

Francisco Quintas
     War for the Planet of the Apes está a chegar. Em outubro de 2016, o Andy Serkis confirmou que um quarto filme está a ser preparado. Por isso, mesmo que já não se possa chamar trilogia a esta franchise, esta é sem dúvida uma das melhores séries reboot de sempre. Quem diria que uma franchise de remakes/reboots podia ser tão boa?     Uma substância destinada para curar o Alzheimer permite a um macaco evoluir intelectualmente num nível absurdo. Desta maneira, perante a (...)
10.Jul.17

Ghost in the Shell (Agente do Futuro, 2017) - Crítica

Francisco Quintas
     Como já disse antes, eu não sou totalmente contra os remakes. Se um filme quer transmitir nostalgia ou reinventar alguma coisa, tudo bem, mas se for feita uma versão cash graber, desrespeitosa e sem graça, de certeza que haverá coisas melhores para se fazer com o nosso dinheiro.     Baseado no manga Ghost in the Shell escrito por Masamune Shirow, lançado em 1989 e, na posterior adaptação cinematográfica de 1995 com o mesmo nome
25.Mai.17

40 Anos de Star Wars

Francisco Quintas
     Hoje, 25 de maio de 2017, Star Wars faz 40 anos! O filme apenas chegou a Portugal dia 6 de dezembro do mesmo ano e ao Brasil no dia 30 de janeiro de 1978. É óbvio que falamos de um mercado muito menos evoluído, o mercado de cinema dos anos 70. Não havia antecipação como há hoje, mas, mesmo que houvesse, os filmes estreavam no seu país de origem e demoravam meses a chegar a Portugal. Claro que ninguém antecipava que Star Wars se tornaria num divisor de águas do cinema. (...)
19.Mai.17

Ghost in the Shell (Cidade Assombrada, 1995) - Crítica

Francisco Quintas
     Anime não é um dos meus géneros preferidos. Claro que como toda a gente, eu vi Pokemon, Digimon, Doraemon, One Pice e até um pouco de Mermaid Mellody, não me julguem. Fora o erotismo óbvio, eu nunca me senti muito atraído nem pelo género nem pela animação em si, apesar de reconhecer a sua qualidade. Ghost in the Shell já chegou a Portugal, por isso eu decidi dar uma oportunidade ao original dos anos 90. Eu subestimei o género e estava errado.   Baseado no manga do (...)