Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Vida de um Cinéfilo

Vida de um Cinéfilo

16.Abr.19

Us - nas carcomidas sandálias do outro

Francisco Quintas
Em menos de 30 segundos de conversa, foi num inopinado aceno que, encurralado pela pergunta mais vazia possível, respondeu comprometidamente: “Nós vivemos num tempo em que, enquanto uma cultura, tememos o outro, seja este um misterioso invasor que pensamos que nos virá matar e apoderar-se dos nossos empregos ou uma fação da qual não vivemos perto, que votaram de maneira diferente de nós. Só apontamos o dedo. E eu quis sugerir que talvez o monstro para o qual precisamos mesmo de (...)
12.Abr.19

Acendalha Datilográfica #5 - Blade Runner

Francisco Quintas
Poucas são as histórias que iniciam uma discussão sobre a humanidade e a respetiva composição moral e espiritual da mesma forma que “Blade Runner”, discutivelmente o pilar do cinema de ficção científica, ao lado de “2001: A Space Odyssey”. Na conceção de um cenário futurista onde a raça dominante perdeu a sua essência, Rutger Hauer, ao auxílio do incomparável imaginário de Ridley Scott, entrega-se inconfundivelmente a um dos personagens antagónicos mais marcantes (...)
06.Out.18

A Simple Favor – fazer comédia é mais difícil que fazer drama

Francisco Quintas
Citando um sábio chamado Luís Franco-Bastos: “A Internet é f*****.” Não há uma maior verdade que esta. “Gone Girl” é um dos filmes mais apreciados de 2014. David Fincher é um dos maiores realizadores da sua geração. Eu … nunca vi. Mas conheço-o perfeitamente. As comparações entre “A Simple Favor” e “Gone Girl” são claramente inevitáveis. Obrigado pelos spoilers, Internet. Mas falando do que interessa. Caros leitores, se são uma das três que leem o meu blog (...)
01.Out.18

2001: A Space Odyssey - uma epopeia pela existência

Francisco Quintas
Se passado todas estas décadas, ainda se continua a discutir um determinado filme, é sinal que haverá sempre mais para ser explorado. “2001: A Space Odyssey” foi lançado no dia 1 de Outubro de 1968 nas salas portuguesas. Foi realizado pelo génio incontestável americano Stanley Kubrick, tendo sido co-escrito pelo mesmo juntamente com o autor inglês Arthur C. Clarke. Ao contrário do que muitos pensam, o filme não foi baseado no livro homónimo. Stanley Kubrick propôs o desafio (...)
15.Set.18

The Dark Knight - a frágil e falsa moralidade humana

Francisco Quintas
Pergunto: O que torna um filme de super-heróis bom? O que o torna distinto dentro do género? Serão as cenas de ação? Será a caracterização traduzida da banda desenhada? Será o tipo de narrativa? Será o arco do protagonista? Será o vilão? Qualquer que seja a resposta, podemos ter a certeza de uma coisa. Christopher Nolan cumpriu o requisito e acertou na mosca. “The Dark Knight” é uma obra-prima … por diversas razões. Primeiro, o inglês visionário responsável por toda (...)
13.Set.18

American Animals - um pouco de filosofia animalesca

Francisco Quintas
Artistas em expansão. Um quarteto (de atores e personagens) improvável. E um tenso thriller de crime contado como deve ser. Que venham mais destes! Kentucky, 2003. O filme conta a história real de quatro amigos universitários que se juntam para assaltar uma biblioteca onde estão reunidos livros compostos por diversos quadros históricos e extremamente valiosos, iniciando aquele que se tornaria num dos roubos mais conhecidos dos Estados Unidos. O filme foi escrito e realizado pelo (...)
06.Set.18

Fahrenheit 451 - um retrato distópico do conservadorismo

Francisco Quintas
Geralmente, os filmes para televisão americanos costumam ser medianos ou medíocres. No entanto, mesmo com a oferta de “The Wizard of Lies”, uma péssima biografia de 2017 sobre o Bernard Madoff que nem o Robert De Niro conseguiu salvar, a HBO já provou que consegue produzir bons conteúdos. Vejamos “All the Way”, a biografia sobre o Lyndon Johnson de 2016 com o Bryan Cranston. Em que categoria será que “Fahrenheit 451” se insere? Baseado no livro homónimo do americano Ray (...)
05.Jan.18

The Killing of a Sacred Deer (O Sacrifício de Um Cervo Sagrado, 2017) - Crítica

Francisco Quintas
   Steven, um cardiologista de sucesso, vive tranquilamente com a família enquanto regularmente convive com o filho de um falecido paciente. Após algumas revelações, fenómenos inexplicáveis acontecem.      O filme foi escrito e realizado pelo grego Yorgos Lanthimos, responsável pelo bom The Lobster, de 2015. É um realizador muito autoral e criativo, com um enorme interesse em estudar a natureza fria, distante e insensível do ser humano. Se em The Losbter, era explorada a (...)
29.Dez.17

It Comes at Night (Ele Vem à Noite, 2017) - Crítica

Francisco Quintas
     Num cenário pós-apocalíptico, uma família luta pela sobrevivência face a um vírus altamente contagioso. Quando outra família desconhecida pede refúgio, estranhos fenómenos começam a acontecer.      O filme foi escrito e realizado pelo americano Trey Edward Shults e esta é apenas a sua segunda longa metragem, depois do ótimo directorial debut que foi Krisha, de 2016 (disponível na Netflix). E, tal como Krisha, It Comes at Night é um filme subjetivo, é uma visão (...)
09.Out.17

Blade Runner 2049 (2017) - Crítica

Francisco Quintas
     Obrigado Dennis Villeneuve! Obrigado Ridley Scott! Decerto que a minha geração desprezará este filme por não estar a par da sua origem. É algo triste que as verdadeiras obras-primas da Sétima Arte estejam cada vez mais longes das novas gerações. Já não se fazem filmes assim. Mas quem foi o vosso público mesmo? Acho que sabemos a resposta.      Passaram-se 30 anos desde os acontecimentos ocorrentes em 2019. Uma nova geração de Blade Runners procura achar respostas (...)