Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Vida de um Cinéfilo

Vida de um Cinéfilo

16.Abr.19

Us - nas carcomidas sandálias do outro

Francisco Quintas
Em menos de 30 segundos de conversa, foi num inopinado aceno que, encurralado pela pergunta mais vazia possível, respondeu comprometidamente: “Nós vivemos num tempo em que, enquanto uma cultura, tememos o outro, seja este um misterioso invasor que pensamos que nos virá matar e apoderar-se dos nossos empregos ou uma fação da qual não vivemos perto, que votaram de maneira diferente de nós. Só apontamos o dedo. E eu quis sugerir que talvez o monstro para o qual precisamos mesmo de (...)
11.Abr.19

Green Book – inspirado e consciente

Francisco Quintas
Os Estados Unidos são um país de extremos. Tanto uma personalidade como uma obra do entretenimento podem ser elevados aos céus ou condescendentemente desconsiderados, escarnecidos e desprezados. Surja a mais levemente fundamentada possibilidade de exclusão de um determinado elemento do particularmente tóxico meio da celebridade e do seu produto, o país de Donald Trump tem-se vindo a revelar um dos menos aliciantes palcos para os cineastas, guionistas e atores, seja para o bem ou para (...)
04.Fev.18

Phantom Thread (Linha Fantasma, 2017) - Crítica

Francisco Quintas
     Por falar em Daniel Day-Lewis, vamos falar sobre um dos mais elegantes filmes do ano e a sua oferta de despedida! Na década de 50, em Londres, Reynolds Woodcock, um costureiro de renome fundador de uma firma de vestidos direcionada à nobreza, vê a sua vida descarrilhada depois de se relacionar profissional e pessoalmente com uma jovem modelo.      O filme foi escrito e realizado pelo Paul Thomas Anderson, um dos homens em atividade que exerce a sua profissão de maneira mais (...)
03.Fev.18

Darkest Hour (A Hora Mais Negra, 2017) - Crítica

Francisco Quintas
     O filme começa em Maio de 1940, na Inglaterra, e segue os esforços desesperados do recente primeiro-ministro Winston Churchill que, depois da sua inesperada e indesejada eleição, mede forças com os membros do Parlamento Inglês, com a Alemanha e com ele próprio.    O filme foi realizado pelo inglês Joe Wright, responsável por Pride & Prejudice e Atonement. Ao contrário de muitas biopics que aparecem nestas awards seasons, o mais recente filme do realizador é um dos (...)
17.Out.17

The Mummy (A Múmia, 2017) - Crítica

Francisco Quintas
     Estava na dúvida se via este filme. Nunca vi nenhum filme sobre monstros clássicos, por isso sou totalmente inculto sobre esse género. Mas porque não? O Tom Cruise está cá.      Um grupo de arqueólogos descobre um túmulo escondido de uma princesa do Egito mumificada que, uma vez acordada, quer destruir o mundo.    The Mummy é o primeiro filme de um novo universo cinematográfico desenvolvido pela Universal Pictures chamado Dark Universe. Trata-se de um novo rumo para (...)
06.Mai.17

Get Out (Foge, 2017) - Crítica

Francisco Quintas
    Quem diria que um dos criadores de Key & Peele seria um realizador cujo debut fosse tão provocante, satírico, engraçado e original. É provado mais uma vez que quando o género de terror é bem feito, pode resultar num dos filmes mais interessantes do ano.      A história segue um casal inter-racial, em que Chris é negro e Rosie é branca, que viaja até à casa dos pais dela para passar um fim-de-semana. À medida que os dias passam, aquilo que parecia acolhedor e (...)