Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Vida de um Cinéfilo

Vida de um Cinéfilo

25.Jul.19

Como de costume, Woody Allen caminhava

Francisco Quintas
Uma figura indefesa percorria as avenidas nova-iorquinas, destilando doses de humor observacional pelos jardins bem povoados por cidadão cinzentos, mergulhados em alegadas individualidades. O escárnio é a sua principal arma. Não de ataque, mas de defesa. Evidencia-se um visual de intelectual escanelado, posicionado no polo da esquerda crítica dos conservadorismos tatuadores de tendências que empobrecem as ideias da generalidade da população. Não procura, no entanto, qualquer tipo (...)
08.Mar.19

"Matchstick Men" ainda me faz pensar

Francisco Quintas
Um dos meus mais recentes e prazerosos hábitos é fazer a minha vida não ao som de música (como a generalidade das pessoas normais), mas sim ao som de trailers. Sim, trailers de filmes ou séries. Sim, é estranho. Mas, em ligeiras porções de tempo, dá-me um enorme gosto reouvir uma mísera segmentação de algo que já tenha visto ou que queira ansiosamente ver. “Green Book” e “Good Omens”, da Amazon, têm sido as principais cobaias. Contudo, é “Matchstick Men”, do Ridl (...)
17.Jan.19

Queres ser ator? Mas para quê?

Francisco Quintas
Vivemos numa altura fascinante da indústria audiovisual. Se há quarenta anos apenas um Ridley Scott ou um Woody Allen podiam comandar as suas produções hollywoodianas e fazer filmes com extrema frequência, beneficiados, lá está, pela falta de concorrência, hoje, já que temos todo o equipamento à venda ali ao lado e um mundo digital à distância de um clique onde nos é permitido disponibilizar os nossos trabalhos, vivemos na melhor altura para quem quer ser um guionista ou (...)
26.Nov.17

Wonder Wheel (Roda Gigante, 2017) - Crítica

Francisco Quintas
     Anos 50, a história segue uma mulher casada e infeliz que se envolve com um nadador salvador. Quando a sua enteada volta para casa de surpresa, inicia-se um enorme descarrilhamento nas vidas de toda a família.      O filme foi escrito e realizado pelo Woody Allen, um realizador magistral que, mesmo sem sempre nos oferecer o melhor de si, utilizando novos ou clássicos métodos, consegue ainda surpreender o seu público com tudo aquilo que faz. O facto deste homem ter a mão (...)